Programa de Graduação em Fitopatologia da Universidade de Brasília

O Programa de Pós-graduação em Fitopatologia da Universidade de Brasília (PPG Fitopatologia), sediado no Departamento de Fitopatologia, é vinculado ao Instituto de Ciências Biológicas da UnB. O Mestrado iniciou-se no ano de 1976 e Doutorado em 1991.  É um Programa consolidado, com Conceito 5 na classificação CAPES/MEC. O Programa oferece treinamento em todas as áreas da fitopatologia e acompanha com orgulho as trajetórias acadêmicas de mais de 350 graduados na Academia, Indústria, Extensão, Agências Governamentais e Não Governamentais, tanto no País, como no exterior. 

 

O Programa nasceu na década de 70, da necessidade de aumento de massa crítica em Fitopatologia em um País de dimensões continentais, em uma época em que a agricultura se despontava como a principal alternativa para o crescimento da Economia do País. Hoje o PPG-Fito é a instituição de referência em fitopatologia no Cerrado Brasileiro, a principal região agrícola nacional, produzindo pesquisa original em bacteriologia, nematologia, micologia e virologia vegetal.

 

Historicamente, a pesquisa em fitopatologia na Universidade de Brasília iniciou-se com os pioneiros professores Armando Takatsu e José C. Dianese, aos quais se juntaram profissionais com treinamento de ponta, oriundos da University of California, Davis (Profs. Min Tien Lin, Hassan A. Bolkan, Chaw Shung Huang e Norman W. Schaad), como também pesquisadores do grupo de virologia vegetal do Instituto Agronômico de Campinas (IAC): Profs. Cláudio Lúcio Costa, Francisco P. Cupertino e Elliot W. Kitajima.

 

Em seu 43o ano de atividade (1976 - 2019), o Programa conta com 10 membros permanentes, todos com doutorado nas melhores universidades nacionais, européias e norte-americanas: Profs. Adalberto Café-Filho, Cleber Furlanetto, Danilo B. Pinho, Helson M.M. Vale, Juvenil E. Cares, Luiz E.B. Blum, Marisa A.S.V. Ferreira, Maurício Rossato, Renato O. Resende, Rita C.P. Carvalho e Robert N.G. Miller.  De maneira complementar, três pesquisadores da Embrapa estão credenciados como orientadores e professores do Programa: Drs. Alice K.I. Nagata, Leonardo S. Boiteux e Sueli C.M. Mello. Vários outros pesquisadores de diferentes instituições e unidades da Embrapa cooperam como coorientadores em projetos colaborativos. Historicamente, os orientadores credenciados da Embrapa foram responsáveis por cerca de 21% das dissertações de mestrado e doutorado do Programa. Entre outros membros do grupo de pesquisa abrigados no PPG-Fitopatologia estão os Professores Eméritos Claudio L. Costa e José C. Dianese, posdocs.

 

O Grupo de Estudos acadêmicos dos estudantes de pós-graduação do Programa (GEPPLANT) organiza um Simpósio e um Encontro anuais, com participação de centenas de participantes e palestrantes das melhores instituições acadêmicas, do agronegócio e de pesquisa agrícola.

 

A admissão de novos alunos é feita duas vezes ao ano (Junho-julho e Dezembro). Cerca de 8% do corpo discente é de estudantes internacionais. Praticamente todo o corpo discente, desde que não possua vínculo empregatício, recebe algum tipo de assistência financeira, principalmente na forma de bolsas de estudo de várias agências (CAPES, PEC-PG, FAP-DF, CNPq, FunNagib, PAEC-OEA, outros).